Quando nos acostumamos
com determinada realidade, não é difícil que fechemos os olhos para o que
acontece com pessoas que vivenciam uma realidade completamente diferente da
nossa. Mesmo que essas pessoas façam parte da nossa família e sejam nossos
irmãos.


Vivemos em um país que
ao menos em sua constituição, proporciona liberdade religiosa aos cidadãos. Por
mais que reclamemos de perseguição por conta de zombarias e discussões com quem
não compartilha da nossa fé, temos a certeza que permanecer nela não custará a
nossa integridade física, o convívio com nossa família e muito menos a nossa
vida. Podemos falar livremente sobre Jesus e temos um local para nos reunirmos
com nossos irmãos e adorarmos o nosso Deus. Essa é a nossa realidade.


Já em países do
oriente, em que a lei proíbe ou ao menos restringe a diversidade religiosa,
diversos de nossos irmãos em Cristo passam por situações de repressão e
violência que nem podemos imaginar. Um dos exemplos recentes é o conflito na
Síria. Para quem não sabe, uma vila cristã do país chegou a ser atacada (
http://www.portasabertas.org.br/noticias/2013/09/2698571/)
e
pessoas foram decapitadas (!) por não se converterem ao islamismo (
http://www.amigodecristo.com/2013/09/cristaos-na-siria-estao-sendo-decapitados-por-se-recusar-a-se-converterem-ao-isla.html).


Já pensou viver em uma
realidade de total medo? Consegue pensar como é dormir, sem saber se irá
acordar no outro dia? Já imaginou ter que viver fugindo em meio a uma guerra?
Não, né? Essa definitivamente não é a nossa realidade.


Em um momento como
esse, temos que nos lembrar que esses cristãos que sofrem perseguições a cada
dia, são nossos irmãos em Cristo. Somos família, filhos de um mesmo Pai.


Quando o seu irmão se
machuca você faz o que? Vive a sua vida como se nada tivesse acontecendo e
ainda reclama da sua realidade que é mais amena que a dele? Claro que não. Se
eu sei que minha irmã está doente ou machucada, eu me preocupo, quero ajudar.
Assim, é mais que óbvio que precisamos fazer algo por nossos irmãos.


Se não podemos ir até
onde eles estão para oferecer ajuda, e se não temos dinheiro para apoiar
missões e resgates, há algo que podemos fazer e que não custa nada: orar. Vamos
nos desligar dos nossos umbigos um pouquinho e pensar no tamanho da dor e do
sofrimento que as pessoas têm vivido na Síria. Não só os cristãos, mas todos os
inocentes que perderam família e casa no conflito.


Nós sabemos que Deus
tem poder e ouve as nossas orações. Então eu proponho que lembremos desses que
sofrem ao fazermos nossos pedidos a Deus. Somos um corpo, e como tal devemos
cuidar para dos sofrimentos dos membros.


Por fim, fica uma dica
para quem quer conhecer mais sobre a realidade de nossos irmãos perseguidos: o
site do ministério Portas Abertas.
Lá, dá para encontrar notícias e maneiras de oferecer ajuda aos cristãos perseguidos.

Gostou da postagem?! Então Comente! Para comentar é preciso estar seguindo o Blog!
One thought on “Realidade ignorada”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *