Não me diga que você não tem um. Você sabe que tem. Tem alguma coisa em
que você se destaca. Existe algo que você faz que chama a atenção, que é melhor
que muitas outras coisas que você tente fazer.


Todos nós sabemos que não precisamos fazer algo para merecer o amor ou o
perdão de Deus. Até porque nada que a gente faça, poderá se igualar a tudo que
Ele já fez por nós.

Porque pela graça sois
salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. 
Efésios 2:8

Isso não quer dizer que eu tenha que ficar “de boa na lagoa”, “suave na
nave”, e não fazer nada para Deus. É obrigação de todo cristão trabalhar na
obra de Deus e seguir o “Ide ao mundo e pregai o evangelho a toda criatura”,
sem esquecer-se de amar o seu próximo como a si mesmo.

O problema é que às vezes a gente até tem o desejo de fazer alguma
coisa, só não sabe exatamente o que. Prestamos mais atenção nas nossas falhas
que no nosso potencial. Ou achamos que o que deve ser feito é impactante ou
estrondoso. Não que não possa ser. Esses dons são lindos e imensamente usados
de forma efetiva pelo Senhor. É que Deus também age nas nossas simplicidades.

Se você resolve entregar o seu melhor a Deus, Ele pode aperfeiçoar mais
esse seu melhor. Veja bem: nem todo mundo sabe cantar, tem o dom da oratória,
tem passos de dança perfeitos ou facilidade para conversar com qualquer tipo de
pessoa.

Esses podem ser uns dos talentos que mais aparecem aos olhos humanos,
mas aquela coisinha que você faz super bem e nem valoriza, também pode ser útil
para a obra. Às vezes o necessário para tocar uma alma é simplicidade e não
barulho.

Aí entra a parte
daquilo que você gosta de fazer e faz bem. Não tem que ser extraordinário, mas
tem que ser feito com amor e disposição.

Vou dar o meu exemplo: eu amo escrever. Não penso que seja a melhor
escritora do mundo, mas é algo que eu acho que faço bem e quero que Deus
melhore em mim. Sempre quis escrever coisas relacionadas a Deus e fazer com que
esses textos chegassem às pessoas. Escrever no GFDC é a concretização desse
desejo.

Pode ser que eu não perceba se isso é de fato importante para a obra.
Mas eu penso que é parte do meu melhor, e essa é a maneira que eu encontrei de
entregar ao Senhor.

Não sei qual é o seu talento, mas sei que se você quiser oferecê-lo a
Deus, de nenhuma maneira será recusado.
  

Por Nahida Almeida
Gostou da postagem?! Então Comente! Para comentar é preciso estar seguindo o Blog!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *